DAGOTH - POR TRÁS DAS CENAS, UM PROBLEMA DE DESIGN

Artigo parcialmente baseado em textos de William Stout, que foi designer de produção de Conan the Destroyer e decidiu contar suas experiências, não apenas com Conan mas em vários filmes em que trabalhou em Hollywood


Adaptado por Edgard Rupel


O deus Dagoth em seu formato ídolo, aguardando o chifre para completar sua transformação.


O americano William Stout (1949) é um grande artista e ilustrador, especializado em arte paleontológica. Suas pinturas participaram de mais de 70 exposições, incluindo doze exposições individuais. Criativo e talentoso, ele já trabalhou em mais de trinta filmes, fazendo de tudo, desde a arte do storyboard ao design de produção. Conhecemos seu trabalho em Rambo, Caçadores da Arca Perdida, Mestres do Universo, e para nós, o mais importante: CONAN. Foi inicialmente fazendo storyboards para Conan que ele iniciou sua carreira como designer de produção e, sem exagero, junto a Ron Cobb, criou a Era Hiboriana visualmente no cinema. No primeiro filme de Conan, ele foi assistente e, em Conan the Destroyer, atuou como designer de produção titular. E coube a ele criar (ou, como vocês vão ler um pouco mais à frente nas palavras dele) o deus Dagoth, o monstro/deus clímax do segundo filme do Conan, que merece um capítulo à parte. Claro, talvez algumas escolhas criativas do filme tenham sido tomadas para cortar custos e sabemos que o estúdio estava filmando ao mesmo tempo e no mesmo lugar o filme DUNA, que era a prioridade. Pode facilmente ter sido apenas uma questão de briefing.


Vamos ler o que William Stout tem a dizer sobre a criação de Dagoth: (artigo original em https://www.williamstout.com/news/journal/2021/07/09/untold-tales-of-hollywood-56/)


“Então, Pierluigi Basile e eu começamos a projetar Conan, o Destruidor. Desenhei a escultura de Dagoth (antes que ele se transformasse no monstro no final do filme). Ron Cobb sugeriu que eu desenhasse Dagoth como um Buda reclinado. Eu concordei prontamente. O engraçado é que eu não fazia ideia (até muito mais tarde) de como era um Buda reclinado - então isso não se parece realmente com um Buda reclinado. Mesmo assim, meu design funcionou para o filme.




Inicialmente, Ron Cobb esboçou a primeira tentativa de Dagoth, após ele ter sido transformado em um monstro. Por causa do histórico de cartunesco de Cobb, seu Dagoth tinha uma aparência muito bem-humorada. Isso teria causado risos em vez de gritos. Infelizmente, não tenho uma cópia do design de Ron. Tenho, no entanto, minhas duas tentativas de tornar o design de Ron mais assustador:



O grande problema surgiu quando Carlo Rambaldi (1925-2012) se envolveu. Pessoalmente, não tenho nenhum respeito por Rambaldi – nem como ser humano e, logo depois, nem como designer. Como disse o diretor Joe Dante (diretor de Piranha e Gremlins): “até as crianças em Nebraska sabem que Rambaldi é uma fraude - por que os produtores de Hollywood não percebem isso?”


Rambaldi estava no México conosco porque estava criando os vermes de areia para o épico de ficção científica de David Lynch, DUNA. Eu percebi algo estranho assim que o conheci um pouco melhor. Todas as garotas locais da Cidade do México contratadas para ajudar Rambaldi eram todas parecidas. Mais tarde, descobri que Carlo iria a discotecas para encontrar seus trabalhadores em potencial. Ele tinha um tipo físico que realmente o excitava - eram garotas hippie, com olhos ingênuos e infantis. O plano de Carlo era o clássico de Hollywood: empregos por sexo.


Para fazer os vermes da areia parecerem enormes na tela, em vez de areia, Carlo usou microballons: pequenas bolhas de sílica que funcionavam bem como areia em miniatura, e caíam lentamente, o que era ótimo para filmar. O problema com os microballons, entretanto, surgia se você os inalasse. Por serem feitos de sílica, eles permaneceriam em seus pulmões pelo resto de sua vida e começariam a cortar lentamente todo o tecido pulmonar ao longo dos anos. Usar uma máscara era essencial para a saúde futura. No entanto, Carlo nunca disse isso a seus auxiliares. Eu os vi, todos eles, trabalhando sem máscara. Ele claramente não deu a mínima para o que aconteceria com aquelas garotas mais tarde na vida.


Carlo insistiu que ele era o designer de criaturas do filme. Por mim, tudo bem, exceto pelo fato de que, na minha opinião (não tão humilde), seus projetos eram uma bosta. Aqui está seu projeto para o Dagoth transformado:



Então, eu desenhei esta versão piada de Dagoth, baseado nesse desenho de Rambaldi:



Também fiz este esboço aqui:


Em seguida, desenhei esta criatura inspirada em HP Lovecraft/Cthulhu, afinal, o criador de Conan, Robert E. Howard, era amigo de Lovecaft e contribuiu para os mitos de Cthulhu também:

Infelizmente (para o filme), Rambaldi venceu.

Originalmente, Wilt Chamberlain usaria o traje de monstro de Rambaldi. Observei Carlo esculpir a criatura Dagoth.

"Você sabe", comentei, "que Wilt não vai caber neste seu traje, né?"

“Você não sabe do que está falando. Isso vai se encaixar perfeitamente em Wilt. ”

“Eu já fiquei algumas vezes ao lado dele, e honestamente, seu traje talvez sirva em mim - mas em Wilt Chamberlain (com 2,16m)? Sem chance. Você deveria ter feito um molde de corpo para esculpir em vez de apenas olhá-lo."

Uma tentativa de fazer um molde do corpo de Wilt foi feita em algum momento, mas, infelizmente, Rambaldi delegou a tarefa de fazer um molde de gesso de Wilt a duas de suas meninas - nenhuma das quais havia feito um molde do corpo antes. Eles misturaram o errado proporção de gesso para água, então o gesso nunca secou. Esse acidente quase fez Rambaldi ser demitido, pois estávamos trabalhando em um cronograma muito apertado que não permitia remontagens.

Carlo continuou a discordar e continuou a esculpir.

Adivinha? O traje não serviu.

As mangas e as pernas do traje tiveram que ser cortadas e abertas para acomodar a circunferência de Wilt. É por isso que no final do filme, quando Dagoth se transforma, isso se passa à noite durante uma tempestade com raios. Isso foi feito de propósito para tornar deliberadamente difícil para o público do filme ver que o traje do monstro Dagoth mal estava sendo preso por alfinetes.

André, o Gigante aparece nos créditos por interpretar o Dagoth transformado. Eu não estava no set quando essas cenas foram filmadas, então não posso te dizer quem estava realmente no traje. Mas, posso dizer que nunca vi André, o Gigante, enquanto estive no filme."


49 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo