A QUINZENA SELVAGEM DOS CONTOS DE ROBERT E. HOWARD

Em agosto de 2020 nós começamos a publicar uma revista digital de Contos de Howard. Inicialmente o Projeto tinha como nome A QUINZENA SELVAGEM DOS CONTOS DE ROBERT E. HOWARD, mudando, posteriormente, para o nome de OS MUNDOS SELVAGENS DE ROBERT E. HOWARD.

Por Marcelo Souza e Marco Antonio Collares



Depois de uma postagem na página do facebbok da Confraria do Forum Conan o Bárbaro no dia 21 de agosto de 2020, de um trecho do conto “A Maldição do deus Carmesim”, de Robert E. Howard, eis que a ideia se tornou concreta agora com essa nova revista digital do FORUM CONAN O BÁRBARO destinada à publicação dos melhores contos de toda a obra de Robert E. Howard.

Capa da edição 1.

O projeto desta revista digital destina-se a todos os fãs da obra de Robert E. Howard e tem o intuito de trazer a diversidade de contos que o autor escreveu ao longo de sua breve carreira como escritor. Nessas páginas, o fã e sedento leitor terá a oportunidade de encontrar histórias (contos, novelas, poemas, etc.) que são inéditas ou tem a sua circulação restritas aos círculos de estudiosos da obra de Howard mas que ainda não foram disponibilizados ao público em geral.


Ao longos dessas edições, que começam aqui com este primeiro número, pretendemos desbravar essa “seara” inédita e trazer o melhor da literatura howardiana tanto ao público em geral, quanto aos apoiadores do Forum Conan o Bárbaro e, quem sabe, um dia essas edições serão impressas.


A Maldição do Deus Carmesim

Bem, nessa primeira edição da revista, traremos "A Maldição do Deus Carmesim", primeiro conto escrito do personagem KIRBY O'DONNELL. Mas quem seria esse personagem, afinal? Ora, trata-se de um aventureiro caça tesouros no Oriente Próximo a lá Indiana Jones, um "irlandês negro" com cabelos negros e olhos de azuis, dentro do clichê howardiano, que adorava mimetizar aspectos de si mesmo em seus personagens.


Se El Borak era o caça tesouro pistoleiro rápido com fundamentos políticos de criar seu império asiático, O'Donnell não, pois era apenas um espadachim disfarçado que adorava a caça aos tesouros e o senso de aventuras e de perigo.

Aqueles que Caminham até o Valhalla

O segundo conto, “Aqueles que Caminham até o Valhalla” – muitas vezes traduzido como “Caminhantes do Valhalla” (Marchers of Valhalla) – traz a aparição de outro personagem howardiano para o leitor “desgustar” na leitura desta revista. Trata-se do personagem chamado JAMES ALLISON . Um personagem que, diferente dos bárbaros howardianos, é um homem do inicio do século XX e que vive uma vida tediosa no Texas. Aleijado e amargurado, James Allison carrega uma doença terminal que o consome. Vive uma vida solitária que só é esquecida quando ele se lembra de suas vidas passadas antes dessa Era Contemporânea. Aqui temos um tipo de narrativa que os especialistas na obra de Howard chamarão de “memória racial” em que um personagem, viajando no tempo em Eras passadas, recorda que nasceu, cresceu, guerreou, amou e envelheceu em uma determinada etnia tribal bárbara de povos proto-europeus, chamados, dentro do universo mitológico de Howard, de aesires e vanires.


Marchers of Valhalla é o terceiro conto, dito canônico, que o escritor Robert E. Howard escreveu sobre o seu personagem James Allison. Entretanto, esse conto somente apareceu e foi publicado no ano de 1972 por Donald Grant em uma época em que muitos acreditavam que o melhor da narrativa de Howard estava concentrado unicamente em seu personagem mais famoso, que era o Conan. A narrativa desse conto veio comprovar o contrário. Possuindo uma importante carga lírica, esse conto vem marcado com batalhas campais brutais no melhor estilo de Espada & Feitiçaria, se bem que o teor FEITIÇARIA não aparece explícito nesta narrativa; ele e mais sutil e está vinculado mais a um desenvolvimento e intervenções de poderes sobrenaturais à vontade humana marcado por deuses e deusa ancestrais envolvidos na trama. Mas, já resenhamos muito aqui e deixaremos para o leitor o melhor, que é a leitura, ou como alguns dizem, “o prazer da leitura” de um autor como Robert E. Howard.


OBS: Você pode baixar essa revista digital, GRATUITAMENTE, aqui mesmo no Blog na seção de donwloads ou pode fazer o DOWNLOAD diretamente aqui.


80 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo