CONAN KING SIZE | Uma Conversa Rápida com Kurt Busiek e Roy Thomas

O Fórum Conan foi atrás de dois dos maiores roteiristas de Conan para saber um pouco mais sobre essa edição comemorativa da Marvel pelos 50 anos de Conan nos quadrinhos


Introdução por Marco A. Collares |Tradução por Duda Ferreira

Arte de Steve MacNiven.

INTRODUÇÃO

O Fórum conversou com dois dos mais icônicos argumentistas de HQs e, claro, de Conan. Nada mais, nada menos do que Roy Thomas e Kurt Busiek. Eles que fizeram parte do King-Size Conan, em homenagem aos 50 anos das primeiras publicações do persoangem na Marvel. Foram questões rápidas e respostas diretas sobre a participação dos escritores nessa edição fantástica que saiu agora em dezembro último no EUA. (Confira as entrevistas em inglês no final do post.)


KURT BUSIEK

Fórum Conan - Como tem sido retornar a Conan, agora na Marvel, neste tributo junto a nomes como Claremont e, principalmente, Roy Thomas, que se tornou uma referência de Conan nos quadrinhos?


Kurt Busiek - Tem sido divertido. Não li nenhuma das outras histórias ainda, claro, então tudo que eu sei é daquela na qual trabalhei. Mas é uma honra estar na mesma publicação com Roy numa celebração de CONAN — foram as histórias de Roy que me tornaram um fã de Conan em primeiro lugar, e me fizeram ir atrás das histórias originais de Robert E. Howard.


E me recordo de Chris escrevendo pelo menos uma história de Conan na ESPADA SELVAGEM, no início dos anos 80, que eu gostei. E além disso, ele usou Kullan Gath, um vilão de Conan, numa história muito apreciada do X-MEN, seu clássico MARADA A MULHER LOBO inicialmente era uma história de Red Sonja, e ele escreveu John Carter de Marte entre outros heróis aventureiros, logo ele é perfeito para se juntar ao projeto.


Ah, Kevin Eastman está escrevendo uma história, o que será muito legal, e tem muito mais além disso.


Fiquei feliz em ser chamado — com todos que já escreveram Conan ao longo dos anos, ser considerado um escritor digno de se incluir numa publicação como essa é uma sensação muito especial.


FC - Como esta nova narrativa se encaixa na trajetória de Conan e em tudo que já existe sobre o personagem?


KB - Eu meio que tentei fazer dos dois jeitos, mais ou menos. A história que escrevi se passa na Cidade dos Ladrões, logo antes da aventura "A Torre do Elefante". E pela maneira que eu escrevi a história, a não ser por alguns elementos cosméticos menores, ela pode ser encaixada na continuidade das histórias que fiz na Dark Horse, mas também se encaixa na continuidade do Conan da Marvel.


Eu não queria contradizer nenhuma delas — e eu também queria criar uma aventura específica que se encaixasse na história de Conan, conectada aos escritos originais de REH. Então apresentei para Mark Basso e equipe várias ideias diferentes que, por esse ou aquele motivo, eram muito difíceis de encaixar nas continuidades tal qual estavam estabelecidas, até que tive essa ideia.


A ideia para a história me fez rir, e Mark e o pessoal da CPI gostaram também, então assim fizemos. Espero que os leitores se divirtam tanto quanto eu me diverti escrevendo.

Preview da história escrita por Busiek.

FC - Nesta edição, Conan encontrará feiticeiros que moldarão seu destino? Podemos esperar uma narrativa inovadora e ainda assim tradicional de Espada & Feitiçaria?


KB - Não quero fazer promessas! É uma historinha simples com muita textura e clima, que eu espero que os leitores apreciem. E sim, ela tem feiticeiros e magia e espadas e ação e afetará o destino de Conan, ainda que talvez não da maneira que as pessoas esperam.


E Pete Woods fez um trabalho lindo na arte, rica em detalhes, caráter e ação — ele realmente deu vida à Era Hiboriana. Foi um privilégio absoluto trabalhar com ele nessa história. Estarei ansioso para ver o que os fãs de Conan acharam dela.



ROY THOMAS

Fórum Conan - Como foi retornar a Conan, mais uma vez, neste tributo junto a nomes como Claremont and Busiek?


Roy Thomas - Fiquei feliz de poder "retornar a Conan mais uma vez" - principalmente porque sinto que nunca deveria tê-lo deixado. (Claro, da primeira vez, eu o fiz por um acordo meu... na segunda, foi quando a Marvel perdeu o licenciamento depois de 30 anos. Naturalmente eu respeito os outros escritores, bem como os artistas, mas este não é um fator na minha satisfação.


FC - Nesta edição, o Conan retratado será o jovem, como em suas primeiras aventuras? Podemos esperar um épico brutal que somente Roy pode proporcionar com Conan?


RT - Conan será Conan. Ele sempre foi razoavelmente violento desde o início.


Preview da hq roteirzada por Thomas.

Resta a nós esperar que a Panini resolva publicar este material por aqui em 2021!



KURT BUSIEK

FC - How is it to go back to Conan, now at Marvel, in this tribute alongside names like Claremont and, mainly, Roy Thomas, who became a reference in Conan in the comics?


KB - It’s been fun. I haven’t read any of the other stories yet, of course, so all I know is the one I’m working on. But it’s an honor to be in the same book with Roy on a CONAN celebration — it was Roy’s stories that made me a Conan fan in the first place, and led me to seek out the original Robert E. Howard stories.


And I remember Chris writing at least one Conan story in SAVAGE SWORD, in the early 1980s, which I enjoyed. And in addition to that, he used Conan villain Kulan Gath in a much-loved X-MEN story, his classic MARADA THE SHE-WOLF started out life intended to be a Red Sonja story, and he’s written John Carter of Mars and other rousing adventure heroes, so he’s ideal to join this project.


Plus, hey, Kevin Eastman’s doing a story, which should be very cool, and there’s more besides.


I was glad to be asked — with all the people who’ve written Conan over the years, to be considered a writer worth including in a book like this feels pretty special.


FC - How does this new narrative fit you in Conan's trajectory and in all the "lore" already existing about the character?


KB - I kind of tried to have it both ways, sort of. The story I wrote is set in the City of Thieves, right before Conan’s “Tower of the Elephant” adventure. And the way I wrote it, aside from some minor cosmetic elements, it could fit into the continuity of the Conan stories I did at Dark Horse, but it also fits into the continuity of the Marvel Conan, too.


I didn’t want to contradict either of them — and I also wanted to make it a specific adventure that fit into Conan’s history, connected to the REH originals. So I would up pitching Mark Basso and crew several different ideas that, for one reason or another, were too hard to fit into the continuities as they’ve been established, until I hit on this one.


The idea for the story made me laugh, and Mark and the Conan Properties guys liked it, so off we went. I hope readers have as much fun with it as I have.


FC - In this issue with your understanding about Conan, he will contact wizards who will shape your destiny. Can we expect an innovative yet traditional narrative of sword and witchcraft?


KB - I don’t want to make any promises! It’s a simple little story that, hopefully, has a lot of texture and mood that readers will enjoy. And it does have wizards and magic and swords and action, and it will affect Conan’s destiny, albeit maybe not quite in the way people will expect.


And Pete Woods has done a beautiful, beautiful job on the art, rich in detail and character and action — he really made the Hyborian Age come to life. It’s been an absolute treat to work with him on it. I’ll be eager to see what Conan fans think of it.



ROY THOMAS

FC - What is it like to return to Conan once again in this tribute alongside names like Claremont and Busiek?


RT - I was happy to be able to "return to Conan once again"--primarily because I felt I never should have left. (Of course, the first time, I did so of my own accord... the second was when Marvel lost the license rights after 30 years.) Naturally, I respect the other writers, as well as the artists, but that's not a factor in my enjoyment.


FC - In this issue with your understanding about Conan, he will be young from what I read in his first adventures. Can we expect brutality and the epic that only Roy can achieve with Conan?


RT - Conan will be Conan. He was a reasonably violent person.


268 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo